Leia antes de comprar: 3 dicas para não perder o controle na Black Friday

O termo “Black Friday” remete à expressão “back to black”, sendo que no inglês o preto tem a mesma conotação que o azul tem pra nós. Então o termo, criado nos Estados Unidos, pretendia fazer referência a um dia em que os comerciantes iriam recuperar quaisquer prejuízos naquele ano, voltando ao azul.

Hoje a Black Friday se estendeu e o comércio utiliza todo o mês de novembro para inundar sua caixa de e-mail e redes sociais com ofertas. Tanta informação pode acabar virando uma armadilha para as finanças. Para que você consiga aproveitar a Black Friday sem comprometer o orçamento, reuni as três principais dicas de dois especialistas.

  1. Evite comprar apenas pelo desconto

A melhor dica é evitar comprar coisas por impulso, na empolgação de ver um super desconto. A recomendação é de Caco Santos, planejador financeiro da GFAI. “Gastar em algo que você não está precisando agora, mesmo que com 80% de desconto, pode fazer falta para comprar as coisas de que realmente precisa”.

Por isso, Caco explica que para aproveitar bem as ofertas é preciso se planejar primeiro pensando no que precisa, daí sim pode aproveitar bem uma oferta. “Assim você pesquisa preços e condições de pagamento, pode guardar o dinheiro necessário e acompanhar o mercado. Planejar as suas compras é sempre o melhor caminho”.

    2. Compre os produtos que você já está namorando

Pra não se enrolar com a Black Friday você precisa observar se você quer de verdade o produto que está colocando no carrinho de compras, e não apenas agindo no impulso do momento. Para a educadora e coach financeira Cris Maeda o principal indicativo de que você realmente quer um produto, e portanto não será algo que depois vai ficar encostado, é se você vem namorando esse produto ou serviço há algum tempo. Se você está de olho em um produto ou serviço, provavelmente vai ter uma resposta positiva para as seguintes perguntas:

a. Você separou uma verba para adquirir isso?

b. Já comparou o preço de meses atrás com o que é oferecido agora?

Se você respondeu sim para as perguntas, “a compra não vai estrangular o seu orçamento agora e nem daqui alguns meses, você vai comprar muito consciente. Então você sabe que vai comprar algo que será útil pra você e não se torna algo que você comprou e ficou feliz por meia hora mas depois vai ficar encostado”.

    3. Não esqueça dos seus objetivos financeiros

Uma coisa que realmente ajuda muito a fazer melhores opções de consumo é definir objetivos financeiros que você quer para daqui uma semana, um mês, seis meses, um ano, cinco anos, definiu Cris Maeda. São coisas como ‘quero quitar uma dívida’ ou ‘quero fazer tal viagem’. “Na minha experiência como coach vejo que as pessoas muitas vezes se enrolam financeiramente por não saber o que elas querem”.

Pra que isso não fique vago, coloque especificamente no papel quanto aproximadamente custam esses objetivos que você quer, quando você quer atingir, e tenha isso como meta. “Assim você pode observar se o seu comportamento de consumo te leva a esses objetivos ou te atrapalha”, disse Cris.

Dica extra

Cris Maeda tem uma dica que não serve apenas em época de Black Friday, mas para o ano todo, pra quem quer evitar o consumo excessivo pela internet: “Você pode, em vez de seguir perfis como marcas ou lojas, perfis que incentivam o consumo, buscar outro tipo de segmento. Assim você direciona o seu olhar na internet para coisas que não sejam consumo”. Somado a isso tenha em mente os seus objetivos. “Se você sabe claramente o que você tem como objetivo, você sabe se uma compra vai te ajudar ou te afastar dele”.

Gostou do artigo? Curta a página no facebook para receber novos conteúdos.