Por que nos importamos com embrulho de presente?

Podem dizer que o que vale é a intenção ou o afeto, mas uma outra coisa também conta na percepção de quem recebe um presente: o embrulho. A prova é um estudo feito pelo professor de marketing Daniel Howard, da Southern Methodist University (SMU), em Dallas. Ele conclui que presentes embrulhados são mais valorizados do que os sem embrulho.

O experimento que chegou a essa conclusão foi feito da seguinte forma: alunos pensavam que estavam fazendo uma avaliação de alguns produtos, e em troca da participação receberiam um presente. O que os alunos não sabiam era que, na verdade, eles não estavam avaliando os produtos mas sim o presente de gratificação.

Depois de participar do teste, os alunos davam uma nota de satisfação com o brinde recebido. Metade dos alunos recebeu o brinde desembrulhado e metade com embrulho. Os que receberam o presente embrulhado deram uma nota de satisfação maior.

Foi realizado ainda um outro experimento com outros alunos, para saber se havia um diferencial de preferência entre tipos ou qualidades de embrulho ou se isso era indiferente. Nesse caso os alunos ranquearam brindes apresentados de três formas: um com um papel de presente tradicional, outro embrulhado em papel pardo e o terceiro sem nenhum embrulho. O preferido foi o tradicional, seguido do papel pardo, e o sem embrulho foi o pior avaliado.

Por que isso acontece? A explicação do professor Daniel Howard foi de que “o embrulho de presentes, apresentado repetidamente com eventos comemorativos na vida das pessoas, fica com a utilidade de dar um sinal de um clima feliz que, por sua vez, distorce positivamente as atitudes”. Dito de outra forma, criamos uma associação entre os momentos de comemoração e o papel de presente recebido nelas. Por isso temos a tendência de avaliar melhor presentes com embrulho.

Gostou do artigo? Curta a página no facebook para receber novos conteúdos.